Photobucket
Join Greenpeace 7 Step Climate CampaignFirefox 2
Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2004
Porquê?
feher.jpg


Pois é meus caros. Depois de uma semana animada aqui no nosso blog, com picardias futebolísticas ao mais alto nível, eis que tudo perde sentido. Nas nossas "discussões" clubísticas vamos sempre um pouco mais além no que toca ao bom senso. Ninguém leva a mal porque todos sabemos que não passam de desabafos e provocações entre amigos. Eu próprio me lembro de quando o Fehér saiu do FCP, não quis assinar contrato e depois foi para o Benfica. Lembro-me perfeitamente de numa das nossas querelas ter dito que ele devia era de partir as duas pernas. São daquelas coisas que se dizem mas que na realidade não se desejam e que, quando algo de trágico acontece, até nos envergonhamos de o ter dito. Assim, e durante um tempo, pela parte que me toca, vão cessar as "hostilidades" aqui no blog. Acho que da vossa parte também.
Outra abordagem ao assunto, e tema deste artigo, é o porquê? Quando analizamos de forma mais fria e desprovida de sentimentos clubísticos chegamos á conclusão de que se trata apenas de um jogo. E alguém morre por causa de um jogo. Alguém morre em directo na tv perante milhares ou até milhões de espectadores. E era apenas um jogo. Como é que é possível que um atleta de alta competição, com apenas 24 anos de idade, sucumba perante uma fulminante paragem cardíaca. Já sei que muito se vai especular acerca desta morte. Vão-se apontar dedos a este ou aquele, as suspeitas vão pairar e o debate vai enveredar por caminhos dúbios. A "clubice" vai vir ao de cima e no final todos vão esquecer o mais importante. Um homem morreu por causa de um jogo...

Mais notícias só para a semana. A todos os meus amigos, um abraço.

Ps: Devido aos acontecimentos do último sábado, no nosso jogo, esta semana não vou enviar mensagem a ninguém. Quem quiser aparecer que diga qualquer coisa. E alguns que aproveitem para reflectir nas atitudes que tomam...


publicado por tonymorgadinho às 09:51
link do post | comentar | favorito
|

7 comentários:
De Anónimo a 29 de Janeiro de 2004 às 10:21
Feher:discurso que tocou toda a gente...



A cerimónia fúnebre de Féher, que se realizou esta quarta-feira em Gyor, ficou inevitavelmente marcada pelo comovente discurso da família. Palavras que relembraram o percurso do jogador, mas também os momentos felizes da infância, a paixão pelo futebol e os planos pessoais para um futuro próximo.

O discurso da família tocou todos quantos estavam na igreja e também quem seguiu a cerimónia pela televisão. Foram estas as palavras ditas pela família na última despedida a Miklos Fehér:

«Pois, meu querido filho. Nós, a tua família, a mãe, o pai, a tua irmã Orsika, o avô, a avó, o Jancsi, a Ildikó, a Dalma e a tua noiva Adrienn, de quem gstavas tanto, nós vimos cá, não para dizer adeus, mas sim para conversar contigo.

Esta família é pequena. Estás a ver como a lista é curta? Agora ficou ainda mais curta. Agora, a mãe vai contar-te uma história e vamos lembrar os momentos felizes da nossa vida. Não precisava de dizer, mas desde o momento em que nasceste que gostámos muito de ti, adorámos-te. Eras uma criança bem educada e simpática. Gostavas muito de brincar e principalmente de jogar futebol. Lembras-te? Lembras-te meu filho? Como gostavas de jogar futebol com o teu paizinho perto do lago e depois com os amigos? Adoravas jogar com a bola... Já naquela altura gostavas de dizer a todos que um dia ias ser um futebolista muito famoso. Nós sorrimos quando tu disseste isso a um jornal, com dez anos.


Lembras-te quando recebeste uma camisola especial de um jogador famoso, tinhas nove anos e jogavas na equipa... como eras feliz. A felicidade era tanta que começaste a correr à volta da casa. Nós apoiámos-te em tudo, pois queríamos, como todos os pais, que fosses feliz. Sucederam-se então os anos contigo a jogar na equipa Eto, com muito sucesso. E tu eras ainda um jovem. Lembras-te das horas a fio que passaste com o pai a falar de futebol, quando falavas sobre o jogo, em todo o lado, até na cozinha?

Os conselhos aceitaste apenas os do teu pai e eu e a tua irmã estávamos sentadas, sem dizer uma única palavra, pois o futebol é coisa de homens e as mulheres não percebem nada disso, diziam vocês. Nos outros aspectos da vida, tu aceitaste sempre a palavra da tua mãe e eu tentei ensinar-te os princípios da bondade, amor, respeito e honestidade. Espero ter conseguido. Estou muito feliz... muito feliz por seres meu filho.

Sabes... dissemos sempre que a família está em primeiro lugar. E tu colocaste sempre a família em primeiro lugar. Gostaste sempre muito dos passeios que fizemos em família, dos bolos da tua mãe, das longas conversas com o Jancsi, das noites de Natal, gostavas muito de jogar às cartas. Como te preocupaste com a tua irmã e cuidaste dela. Tinhas tanto orgulho em ter uma irmã tão bonita e inteligente e ela também admirava muito, mesmo muito, a força do irmão.

E, além da família, a outra coisa mais importante para ti era o futebol. Chegou então o momento da tua vida em que o sonho se tornou realidade. Lembras-te do dia em que nos estávamos a preparar com muita ansiedade a ida para Portugal e quando te tornaste jogador profissional? Tu estavas com medo e ansioso. O que iria acontecer contigo num país estrangeiro? Para aliviar esse medo e ansiedade cantávamos uma canção dos Bikini «Em sítios próximos». Também agora, no fim, vais poder ouvir esta canção.

Um dos nossos olhos está a chorar, mas o outro a sorrir. O nosso coração está a doer. Ninguém percebeu o que se passou. Mesmo sabendo que estiveste num sítio seguro, mesmo assim, estávamos sempre preocupados contigo. Toda a família gostava de te visitar em Portugal para te levar um pouco de calor das tuas raízes. Mas tu, mesmo num país estrangeiro, conseguiste dar o teu melhor. As pessoas começaram a conhecer-te e depois começaram a gostar de ti. Seguiram-se anos de muito sucesso. Mas tu nunca mais esqueceste as tuas origens. Mãezinha, disseste tu: Eu nunca vou esquecer que comecei aqui em Szabadhegy, perto do lago, e agora estou a jogar com futebolistas que antes só via jogar na televisão. Disseste isso muitas vezes. Gostaste tanto de futebol que até deste a tua vida por ele. Orgulhavas-te muito das tuas raízes em Gyor.

A tua vida começou a ter contornos muito bonitos. Para completar a tua felicidade, acabaste por conhecer o amor da tua vida e nós, a tua família, acompanhámos tudo com grande felicidade pois parecia que Deus os tinha criado um para o outro. Vocês estavam a planear um futuro em conjunto e nós, a família, estávamos muito felizes com o vosso amor. Estávamos a preparar o casamento para o Verão. Lembras-te, meu querido filho? E agora... temos a ansiedade de volta, a dor, a angústia. Só que agora a canção não ajuda. Vamos contar-te histórias sempre, meu querido filho. Eu prometo-te que continuarás a viver nos nossos corações. Para sempre!»

Carlos Ala Esquerdo
</a>
(mailto:ccm1976@yahoo.com)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2004 às 10:55

Sugiro no proximo sabado um Minuto de Silencio em Homenagem e respeito ao "Nosso" Miki antes de começar o nosso jogo.O que aconteceu com ele pode acontecer a qualquer um...
Abraços Pessoal.Carlos Martins - Linger
</a>
(mailto:ccm1976@yahoo.com)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2004 às 01:05
Porque é que discutimos uns com os outros ? Porque é que seres humanos matam outros seres humanos ? Porque é que pessoas odeiam outras pessoas? Porquê ? Não sei, só sei que não serve para nada ... porque a nossa "embalagem" é fragil, muito fragil mesmo ... mas o "conteudo" meus amigos ... o conteudo é grande ... é imenso ... pena é que a maioria de nós não consiga ver esse conteudo na sua totalidade. Doi ... não sei porque ... mas doi ... é um sentimento que não se consegue descrever ... áquele rapaz que eu via jogar com o numero 29 nas costas ... até sempre, aos meus amigos ... gosto muito de vocês ... "Et Pluribus Unum"o_proprio
</a>
(mailto:2@f.pt)


De Anónimo a 26 de Janeiro de 2004 às 21:41
felejthetetlen... ( magyar for unforgettable ) saudações para todos, you´ll never walk alone!bebe saltitao
</a>
(mailto:bebe_pedro@iol.pt)


De Anónimo a 26 de Janeiro de 2004 às 17:28
Talvez tudo o que nos rodeia seja apenas e só para nos fazer esquecer o quanto frágil de facto somos. Num segundo sorrimos... no seguinte morremos.

Ana
</a>
(mailto:abrv@sapo.pt)


De Anónimo a 26 de Janeiro de 2004 às 15:44
ESTOU TRISTE! Ontém vi partir um adepto do meu clube, um camarada do meu partido, um crente da minha fé... DEIXOU-NOS UM BENFIQUISTA!!! Hoje pela manhã, depois de uma noite passada ao relento, na minha outra casa, junto da minha outra familia, partilhando a dor da perda de um dos nossos, finalmente entendi... não sou doente, não sou fanático... sou, isso sim, um PRIVILIGIADO. Priviligiado, por fazer parte desta familia, por ter partilhado tantas alegrias, por ter sofrido com algumas tristezas, mas, principalmente, por ser BENFIQUISTA. Só agora entendo a razão das minhas lágrimas pela perda de alguém que até não conhecia. Mas também não conhecia quem estava a meu lado no jogo com o Steua de Bucareste, com o Marselha, com o Sporting, na despedida do velhinho Estádio da Luz, na Inauguração da nova Catedral, durante esta noite, e com eles também chorei. Pois acredito, que a beleza dos momentos não se mede pelo tempo que eles duram, mas pela intensidade com que os vivemos. Quantos mais momentos felizes conseguirmos viver, mais próximo da felicidade nos encontramos. Aquele abraço para todo o pessoal, pois sei que, de uma forma ou de outra, também comigo partilham este momento, e um muito especial para o meu AMIGO Tony, pela Sensibilidade e Sinceridade desta "enorme" homenagem. Apesar de saber que não vão ler, não podia deixar de dar um abraço a todos aqueles que comigo partilharam esta dor durante a noite de ontém, foram espectaculares. Até Já MIKI... sim até já! Pois só se morre quando se é esquecido e a familia Benfiquista nunca te esquecerá! Sim, ESTOU TRISTE... GLORIOSO S.L.B.Karluz Fernandez
</a>
(mailto:aeiou@iol.pt)


De Anónimo a 26 de Janeiro de 2004 às 10:48

Bons Dias Pessoal.

Ontem fiquei comovido e triste como a grande maioria dos Desportistas em Geral.Feher Partiu para o "Outro Mundo" e já tenho saudades do seu estilo Corajoso e Rebelde quando entrava num campo de Futebol.Um Abraço para o meus Amigos Benfiquistas...e um Até sempre MIKI.Carlos Ala Esquerdo
</a>
(mailto:ccm1976@yahoo.com)


Comentar post

Photobucket - Video and Image Hosting