Photobucket
Join Greenpeace 7 Step Climate CampaignFirefox 2
Segunda-feira, 7 de Novembro de 2005
Os protestos continuam
story.france.cars.jpg

Ora um bem haja a todos os meus amigos e rejubilemo-nos por ainda não nos terem queimado os carros. Esperemos que a nova forma de "protesto" inventada pelos Franceses não chegue a este nosso cantinho uma vez que pareçe alastrar mais rapidamente que a gripe das aves. De acordo com as notícias também já há "protestos" dos "jovens" na Bélgica e Alemanha. Agora cá é que vai ser o bonito quando chegar à altura de pagar as propinas...
Tremo só de pensar na próxima greve dos funcionários judiciais...será que vão queimar os carros aos advogados? ou pegar fogo ao Tribunal? O rídiculo não está nestas linhas aqui escritas mas sim naquelas de toda a imprensa que de uma forma descarada tentou manipular a informação. Não são protestos de jovens. São actos de vandalismos de grupos de delinquentes. Que protesto existe em queimar os carros dos nossos vizinhos? Pegar fogo a escolas, infantários e igrejas? Qual o fundamento? Qual a razão? Inexiste. Assim como aparentemente inexiste pulso para controlar a questão. Espero que essa gripe de protestos não chegue cá. Pelo sim pelo não, felizmente, tenho o carro na garagem...


publicado por tonymorgadinho às 16:04
link do post | comentar | favorito
|

9 comentários:
De Anónimo a 11 de Novembro de 2005 às 00:07
louvo em saber que os nossos amigos, kappa e tnymorgadinho, revelam as suas profissões ao comentar um assunto desta gravidade com tanta proeza.Não acho que se deva considerar,os acontecimentos em frança, de actos de puro vandalismo, mas sim um misto de protestos com o aproveitamento de alguem,e aí sim, para vandalizar.Destruindo assim a principal mensagem do descontentamento óbvio de quem faz parte de uma classe social visivelmente muito pobre.Como não deixa de ser verdade que discordo profundamente dos meios útilizados de protesto, acho grotesco, mas também, desesperados, em suma fico feliz de ter o meu carrinho inteiro... magic
(http://www.blablabla.com)
(mailto:bla@blabla.com)


De Anónimo a 9 de Novembro de 2005 às 09:16
Concordo! Não passa de puro vandalismo!PDivulg
(http://lacosazuis.blogs.sapo.pt)
(mailto:pdivulg@sapo.pt)


De Anónimo a 9 de Novembro de 2005 às 09:07
Dizia hoje o repórter António Esteves Martins que "os jovens pilharam um supermercado e em seguida pegaram-lhe fogo. Agora sim estamos já no puro vandalismo." AGORA SIM!!! Quer dizer enquanto não roubaram nada e só destruíram deviam andar em protesto? Agora que roubaram um supermercado é que estamos no âmbito do vandalismo? Estes repórteres são quase tão mauzinhos como o Beto do Sporting.tonymorgadinho
</a>
(mailto:tonymorgadinho@sapo.pt)


De Anónimo a 9 de Novembro de 2005 às 08:58
Caros bloguistas, o conceito actual de desfavorecido, nada tem a ver com o conceito de pobreza. O problema de integração, não está directamente relacionado com a nacionalidade mas com questões de politica solcial. Infelizmente a História moderna tem-nos demonstrado que as politicas de Guetização apenas levam a mais exclusão social e, consequentemente, ao aumento da criminalidade. Tal como já o expressei, condeno veemente o que se tem passado em França e agora por outros locais da Europa, inclusive, em Portugal. Agora, o que me separa dos demais, em termos ideológicos e de soluções, é que não defendo politicas de extreminios bem ao estilo de ideologias de extrema direita. Eu acredito que no imediato todos os praticacam tais actos de vandalismo devem ser punidos nos termos da lei penal em vigor; no entanto, no mediato há um problema bem mais sério e complexo, em que o "matava-os a todos" pode resolver. O que me deixa de certa forma apreensivo e preocupado é que no passado, foi através da devida exploração desse sentimento social global, que se criaram as mais assassinas ditaduras na História. Convém não esquecer que Mussolinis, Hitlers, Francos, Sadams, Salazares e Pintos da Costa, todos foram democraticamente eleitos e aclamados como salvadores de sua pátria. kappa
</a>
(mailto:a@iol.pt)


De Anónimo a 8 de Novembro de 2005 às 23:51
Camaradas depois de ler as vossas opiniões, acho k que ou muito me engano ou não estamos a ver a questão na verdadeira dimensão k ela tem, será por acaso k vocês acham k são os desfavorecidos k andam a queimar carros em frança?, é k se pensam isso desculpem k vos diga mas deixaram-se manipular pela comunicação social. Alguem com fome e sem trabalho não incendeia carros nem queima casas, nem escolas, nem fábricas, nem autocarros, alguem com fome e sem trabalho e sem nada para dar de comer aos filhos invade supermercados e retira comida das prateleires, por isso acho k devemos parar para pensar e perceber k o k está a acontecer em frança é organizado e pensado, não é obra de uns quaisquer emigrantes de 2ª ou 3ª geração, por isso eu no sábado disse, embora em tom irónico k parava este fenómeno de uma maneira simples, k era aguardar pelas investidas deles e lançar um napalmzito sobre eles uma vez k gostam tanto de incendiar, era uma limpeza.
Embora nós neste cantinho da europa não nos tenhamos ainda deparado com o fenomemo do crescimento das organizações extremistas, é um facto indesmentivel k por essa europa fora cada vez são mais os jovens organizados nessas associações e nalguns casos mesmo em partidos politicos, o crescimento desse fenomeno é k nos devia começar a preocupar.Kamarada
</a>
(mailto:mnc@mnb.pt)


De Anónimo a 8 de Novembro de 2005 às 10:44
OLá pessoal, em relação ao assunto só tenho a dizer que esses gajos devem ser conhecidos da malta do bairro do MIKACHANITA. É sempre à'viar.
O vandalismo já vai na Alemanha e na Bélgica, se chegar cá os pretos fodem esta merda toda e não serão nem a PSP ou a GNR a suster a entifada. Como isto anda estes até estarão na linha da frente a ensinar como é que se faz.GuruKatmandu
</a>
(mailto:guru@tudo.pt)


De Anónimo a 8 de Novembro de 2005 às 09:45
Pois isso é tudo muito bonito mas penso que não é disso que se trata. Pobres são os pais deles mas não os vês a fazer o que os filhos fazem. Vê as imagens e constatas que os desfavorecidos usam todos roupinha de marca com ténis de marca e todos perfeitamente estilizados no mais puro "gang stile". Eles não são imigrantes, são nascidos e criados em França, com nacionalidade francesa e direitos como qualquer outro cidadão. Não pugnam por direitos, apenas pretendem destruir. Se os pretos do Vale te vierem foder o carrinho e dizer que são pobres e não têm emprego quero ver se ainda cantas dessa forma...Ps: Nestes "protestos" ainda ninguém roubou nada para comer, nem uma merda de um paposeco!!!tonymorgadinho
</a>
(mailto:tonymorgadinho@sapo.pt)


De Anónimo a 8 de Novembro de 2005 às 09:17
Apesar de não concordar minimamente com este tipo de atitudes estupidas, temos, no entanto, que ser um pouco mais inteligentes do que aqueles que as praticam, quando estamos a analisá-los e a ponderar soluções.
O problema das desigualdades sociais é cada vez mais evidente e conjudado com a questão da emigração ilegal e do desemprego, cria um cenário propicio para a indignação e revolta de todos aqueles que nessa situação se encontram. É obvio que a violência não é o meio mais correcto e eficaz para demonstrar o descontentamento de quem quer que seja. No entanto, também não nos podemos refugiar na nossa condição favorecida, sentados num qualquer café a beber uma cerveja ou em nossos locais de trabalho em que o salário não nos falta, para apontar o dedo de uma forma tão minimalista. As declarações do Ministro do Interior Francês, ao declarar guerra à escumalha, não são igualmente violentas e desporpocionadas?! As politicas sociais dos demais governos por esse mundo fora, não são também violentas e criminosas?! Como podemos cencurar de forma tão veemente quem pratica tais actos e aceitar que se gaste milhoes e milhoes de euros em guerras, armas, drogas, enquanto milhoes de crianças morrem de fome ou por não terem acesso aos minimos cuidados médicos humanamnte exigiveis. Algum de vós já demonstrou a sua indignação por tais criminosos, ou, simplesmente, pretendemos apenas ignorar ou até os apoiar..!! Para aqueles de defendem atitudes do género de que os matava a todos, ou corria com eles todos, ponderem um pouco mais, porque a solução pode e deve ser mais abrangente e integrante, pois é de seres humanos de que estamos a falar. Eu não tenho qualquer problema em reconhecer que se um dia não tivesse dinheiro sequer para comer, podem ter a certeza que fome não passaria, nem que para isso tivesse que roubar! Ou seja, teria comportamentos de um qualquer governante respeitado.kappa
</a>
(mailto:a@iol.pt)


De Anónimo a 7 de Novembro de 2005 às 17:14
As vezes a comunicação social gosta de tornear as questoes,concordo inteiramente com tudo o que escreveste.É uma vergonha o que se está a passar em França,ninguem parece ter mao naqueles putos estupidos.Mas lá vem a eterna desculpa,"pois e vé lá qual foi o meio em que foram criados"...como se nasce pobre tem-se o direito a fazer tudo o que se quer?...Abraços.
Linger
(http://www.tironaescuridao.blogspot.com)
(mailto:ccm1976@yahoo.com)


Comentar post

Photobucket - Video and Image Hosting