Photobucket
Join Greenpeace 7 Step Climate CampaignFirefox 2
Terça-feira, 9 de Novembro de 2004
Blog Worten
Meus amigos, cheguei à conclusão que este nosso blog é na verdade um Blog Worten. Como é do conhecimento de todos, a campanha publicitária da Worten assenta num jogo de palavras em que, invariavelmente, o final é sempre "Worten".
Assim é o nosso Blog. Independentemente do que se escreva no artigo que é suposto ser comentado, sejam notícias da actualidade política, seja até o simples facto de um de nós fazer anos, a verdade é que o fim é sempre o mesmo...BOLA.
Não foi com essa intenção que criei este blog. Apesar de gostar de futebol, acho que resumir toda e qualquer discussão e debate de ideias ao facto de se saber se o SCP alguma vez ficou em 6º lugar, acho, dizia eu, extemamente redutor das capacidades mentais humanas. Mas os meus amigos assim querem.
No Sábado, dois amigos lagartinhos, chegaram ao ponto de me pedir para não fazer nenhum artigo na segunda-feira. "Espera pelo jogo" diziam eles. Já se está a ver qual vai ser o tema da semana...BOLA. E provavelmente da próxima semana, e da outra, e da outra, e da outra...
Só há uma maneira de inverter a situação: Quando o FCP estiver em primeiro e os meninos perderem o fulgor. Aí, á semelhança do ano (futebolístico) passado, já poderei escrever qualquer coisa que me dê verdadeira satisfação.



Até lá fica o blog Worten. Vamos lá experimentar...


Bush....Bush\Guerra....Guerra\Paz.....Paz\Jogos Olímpicos....Jogos Olímpicos....Futebol.



Agora os meninos:
Quinta das Celebridades....


publicado por tonymorgadinho às 10:03
link do post | favorito

De Anónimo a 12 de Novembro de 2004 às 08:41
Primeiro não vou responder a comentários de "gajos" que assinam por zezinho... Para já qualquer diminutivo de um nome é muita apaneleirado, depois, bem depois só falta andar a dar bola ao huguinho, luisinho... e depois vem o quê?? a Margarida, o Pluto! Arranja um nome de Homem, depois vem falar comigo!!! E já agora, sabiam que



durante o nosso passado recente, a energia nuclear foi olhada das mais diversas formas. De início parecia tratar-se de uma energia limpa, sem riscos e que parecia conduzir à resolução de todos os problemas energéticos globais, resolvendo definitivamente a dependência dos combustíveis fósseis.

Contudo, o evoluir da situação demonstrou o contrário, mostrou que na realidade, mesmo sob as rigorosas formas de controle, ela nunca era desprovida de riscos. A prová-lo temos por exemplo os casos de Sellafield, Three Mile Island, Chernobyl, todos eles descritos no capítulo 3 do presente trabalho, assim como o problema dos lixos nucleares e das armas nucleares.



Os riscos para o meio ambiente foram, sem duvida uma das maiores preocupações dos instaladores desde a entrada em funcionamento dos programas iniciais. Aliás, de acordo com os critérios técnico-científicos, as medidas de segurança para o funcionamento de uma reactor e a eventual evacuação são suficientes. Naturalmente, para o qual ninguém pode encontrar um remédio infalível são os acidentes, sempre possíveis, motivo de grande preocupação para os adversários da energia nuclear, atribuídos sobretudo a falhas humanas.

O que acontece se um reactor chega a ficar realmente fora de controlo?

Os defensores da energia nuclear argumentam que a possibilidade de uma tal situação é muito baixa. Os opositores argumentam dizendo que os resíduos radioactivos contaminarão durante décadas a zona que rodeia o reactor, pondo em perigo toda a vida aí existente.

Que segurança oferece o armazenamento definitivo?

Existem ensaios que demonstram que a inclusão em vidro mediante a fusão ou num material com as carcterísticas das rochas, isola os resíduos radioactivo do meio ambiente durante muito tempo, estanque ao ar e à água. Mas segundo afirma a fonte contrária, acontecimentos imprevisíveis pode libertar, apesar de tudo, os elementos nocivos e consigo a radiação mortífera.



Num artigo publicado em Le Quotidier du Médicin, Marcel Chabrillac, director das realizações nucleares Framatome, afirma que: “À medida que a experiência de funcionamento se acumula através de um melhor conhecimento do funcionamento e do envelhecimento dos materiais, que a análise dos riscos e falhas se aperfeiçoa,( …), destacam-se com mais precisão os limites do risco residual das instalações. Este risco, avaliado nas instalações existentes no mundo ocidental, é já extremamente baixa.”

A respeito da próxima geração de reactores, o mesmo autor acredita que estes implicariam consequências radiológicas muito limitadas, mesmo nas condições de acidente extremamente improvável de fusão do núcleo central. Garante-nos igualmente que: “Quanto a essa futura geração de reactores, progride o consenso internacional sobre as exigências de segurança e de preservação do meio ambiente.” Diz ainda que a experiência de exploração das centrais francesas teria mostrado que os riscos eram muito inferiores aos limites regulamentares. Prosseguir nesta via e limitar os volumes de resíduos continua a ser um dos objectivos da próxim geração de reactores.

É bom acreditar em conclusões tão tranquilizantes emanadas de uma autoridade na matéria. Contudo há quem exija mais estudos fundamentais e um orçamento de investigação não estabilizado, mas fortemente aumentado.



Conclui-se então que a energia nuclear não é uma tecnologia sustentável nem amiga do ambiente, como as grandes potências nucleares (EUA por exemplo) querem provar.

Substituir um problema por outro, como propuseram os EUA em Haia, é algo extremamente injusto e irresponsável para com as gerações futuras. Por mais que as condições de segurança nas centrais aumentam, a insegurança e o medo entre as populações permanecerá para sempre, pois não nos podemos esquecer que as máquinas são construídas pelo Homem, e este não é infalível
karluz fernandez
</a>
(mailto:a@iol.pt)


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Photobucket - Video and Image Hosting